Conheça a nossa trajetória – 2Tech 10 anos

Como muitas empresas, a 2 Tech começou como um projeto pequeno e sem a intenção de virar verdadeiramente um negócio. E, só pra constar, não começou em uma garagem (rs).

Em 2007, Renan Maldonado, fundador e diretor da empresa, recebeu uma encomenda para desenvolver um software de gerenciamento para seguros. Renan, na época formando em Engenharia pela UERJ, atendeu ao pedido do seu amigo e começou a trabalhar no sistema idealizado. Conforme as semanas se passaram, o escritório de seguros mudou de direção – decidiram operar exclusivamente com crédito consignado.

 

A decisão de mudar o foco da empresa provocou alterações essenciais no projeto do sistema de gestão encomendado. Dali em diante, o software passaria a ter que gerenciar as regras do mercado de consignado, que vinha crescendo rapidamente com o forte volume de operações de INSS e outros órgãos.

 

O fato de ser um segmento recém-criado e também intermediar operações financeiras não triviais sempre trouxe complexidade às tarefas que o software precisa gerenciar. Além do mais, buscando adaptar seus modelos e alcançar uma eficiência cada vez maior, correspondentes bancários e instituições financeiras testavam diversas mudanças em seus fluxos operacionais, financeiros e administrativos. Isso demandava manutenção e desenvolvimento constantes no sistema.

 

Logo ficou evidente que aquele sistema não ia se restringir a atender àquela única empresa e também não poderia continuar sendo mantido por apenas uma pessoa. Foi então que o sistema virou um negócio, uma empresa que passaria a ter os mesmos desafios de todas as outras: desenvolver produto, promover, vender, entregar, dar suporte, pagar contas e impostos, etc.

 

Ainda em 2007, eu integrei a equipe e comecei a ajudar na empreitada.

 

E o ano seguinte foi marcado pela forte crise financeira mundial que fez o mercado de crédito “secar” no mundo todo. A crise colocou em risco a solidez de muitas instituições bancárias gigantes e provocou uma queda intensa na liquidez dos bancos. Em resumo, tomar crédito – para pessoas e empresas – se tornou algo difícil e também muito arriscado. Além dos bancos segurarem o dinheiro em seus cofres para assegurar recursos em caixa e evitar a provável inadimplência, as pessoas tinham cada vez menos motivos para tomar o crédito de qualidade, que é aquele que se toma no mercado para investir, comprar, fazer a economia girar. (o crédito de baixa qualidade é aquele tomado a juros altíssimos, às pressas, sem planejamento e, geralmente, voltado para quitar outras dívidas).

A 2 Tech não passou imune às instabilidades daquela época. Aquele período foi bastante complicado, marcado pela escassez de recursos e também de clientes. Felizmente, a ciclotimia da economia é certeira! E toda crise vem acompanhada da recuperação e, posteriormente, a euforia – esta, por vezes, até em níveis preocupantes.

 

A retomada da confiança por parte dos investidores, bancos, consumidores e empresas trouxe uma nova janela de crescimento. Essa era a oportunidade da 2 Tech se reerguer. Poucos meses antes, a situação da empresa era como de muitas outras pequenas que tentavam superar a colapso: poucos clientes, baixo faturamento e pouca expectativa de melhora no curto prazo. Mas agora, havia uma nova chance para quem se segurou. E a 2 Tech tinha que se preparar para os novos ventos que estavam para soprar.

 

Com o aquecimento do mercado, foi possível investir novamente no negócio. Trouxemos mais pessoas pro time e ampliamos nossa estrutura de servidores e outras tecnologias. Nos anos seguintes, a empresa continuou crescendo de maneira consistente.

 

Inovamos no mercado com diversas ferramentas que geram mais eficiência e controle para as empresas. Nossa ideia sempre foi atender ao cliente da maneira mais completa possível, implantando sistemas em todos os seus departamentos. E foi o que continuamos a fazer, buscando parceiros com tecnologia e serviço de qualidade e desenvolvendo integrações com eles para que nosso cliente pudesse contar uma plataforma completa em apenas uma interface. Foi um sucesso e nos colocou em evidência no mercado, atendendo a alguns dos maiores correspondentes do país e gerenciando um volume de mais de R$ 300 milhões em operações de consignado todos os meses.

Mas, em 2015, infelizmente, vivemos um novo cenário adverso. Com as muitas mudanças que ocorreram no mercado (redução das comissões, diferimento, etc), o consignado como um todo entrou em estado de atenção. Além de segurarem os investimentos planejados meses antes, os empresários se viram obrigados a cortar custos de toda maneira. Era hora de ajustar e enxugar o negócio. Caso contrário, a operação não se sustentaria por muito tempo.

 

Como se não bastassem os problemas relacionados especificamente ao segmento de consignado, 2016 revelou para todos nós brasileiros que a nossa economia se encontrava em situação muitíssimo delicada. A tensão política que se seguiu criou um cenário perfeito para desestimular os investimentos e contribuiu ainda mais para que uma nova crise econômica se estabelecesse.

 

Assim como os nossos clientes, nós também tivemos que apertar o cinto. Mas, desta vez, tínhamos a última recessão como um aprendizado e isso nos ajudou a realizar uma manobra ainda mais rápida e eficaz.

 

Nossa dedicação em ouvir os clientes e suas ideias, e ampliar o software para gerenciar toda a operação interna dos correspondentes se mostrou uma estratégia muito acertada. Hoje, o Gerencial Crédito ajuda centenas de empresas (pequenas e grandes) a controlarem todos os tipos de tarefas produzidas pela operação de crédito consignado.

 

Muitos empresários ainda estão sofrendo as consequências da recessão econômica. No consignado, ainda há questões difíceis a serem enfrentadas. São dificuldades das mais diversas. Porém, apesar dos problemas, o otimismo não pode dar lugar ao medo. É natural do empreender procurar caminhos para se recuperar das quedas dessa caminhada. Não se pode fugir da realidade. Mas não se deve fechar os olhos para as oportunidades que podem surgir mesmo em momentos como esse. Além do mais, lembremos: toda crise passa. E essa já deu sinais de enfraquecimento.

 

Portanto, é hora de juntarmos o realista e o otimista que temos dentro de nós. É hora de tirar da gaveta os planos que foram frustrados pelo mau momento. É hora de “agredir” o mercado, acelerar, investir, gerar renda, empregos e ajudar o país a se levantar. Isso é empreender. Essa é a essência e a vocação do seu negócio!

 

Nós estamos colocando em prática e a todo vapor, uma série de planos que temos por aqui. E você vai fazer parte disso, acompanhando tudo bem de perto!

A 2 Tech vai continuar trabalhando para alcançar seu objetivo principal: desenvolver tecnologia para controlar de forma inteligente todos os processos da sua empresa!

 

Conte com a gente sempre!